As estruturas sindicais da Função Pública e o Governo reunirão-se no entanto não foi possível entregar uma proposta escrita sobre o Sistema Integrado de Gestão e Avaliação do Desempenho na Administração Pública (SIADAP) uma vez que falta concluir a “harmonização interna” da proposta. 

No documento pode-se ler que “Apesar de não ter sido possível apresentar uma proposta escrita às estruturas sindicais, uma vez que não foi ainda possível concluir a sua harmonização interna, o Governo continua a desenvolver um trabalho extenso e profícuo nesse sentido” e ainda é acrescentado pelo Governo que “nas reuniões, o secretário de Estado pediu aos sindicatos para densificarem os contributos já remetidos ao Governo, relacionados com a simplificação das etapas da avaliação e com a articulação entre os objetivos individuais e os objetivos das unidades orgânicas”.

O objectivo desta reunião entre o governo e as três estruturas sindicais da função pública, era discutir a revisão do SIADAP, reivindicando uma alternativa mais justa e sem quotas.

A Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública, a Federação de Sindicatos da Administração Pública (FESAP) e o Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE), sendo que esta era a segunda reunião que tinham, a expectativa era de ter mais do que foi apresentado.

No final de abril, e na sequência do conjunto de princípios apresentado pelo Governo, o STE enviou ao secretário de Estado da Administração Pública, José Couto, um documento onde constata que o SIADAP “tem servido apenas para conter o crescimento da massa salarial” com a maioria dos trabalhadores a ficarem estagnados no mesmo nível remuneratório por 10 anos.

O que vai mudar na Função Pública com o Orçamento do Estado - Orçamento do  Estado - Jornal de Negócios